HELDER BRUNO encerra o FÓLIO deste ano.

Ficções do Interlúdio

Helder Bruno encerra FOLIO 2017

 

É já no próximo dia 29 de outubro, pelas 18:30, no palco principal!

Música de Helder Bruno com:
Mafalda Camilo (soprano), Blossom Quartet, Helder Bruno (piano) e Lieve Tobback (fotografia).
Convidados espciais:
Nuno Guerreiro (cantor)
Ricardo Carriço (ator)

O título «Ficções do Interlúdio» foi utilizado por Fernando Pessoa nos anos 10 do século XX para diferentes tipos de poesia ligados ao Paulismo – o primeiro “ismo” literário criado por Pessoa, no âmbito do Modernismo Português. O expoente do paulismo foi o poema “Pauis”, de 1913, publicado no único número da revista Renascença, em 1914. “Pauis” faz parte do díptico “Impressões do Crepúsculo” (muito ligado ao simbolismo francês e a Camilo Pessanha). A a este movimento literário seguiram-se o Interseccionismo e o Sensacionismo. O paulismo reflectia uma linguagem poética vaga, subtil e complexa baseada no sonho.
«Ficções do Interlúdio» foi também título de um conjunto de 5 poemas (atribuídos ao ortónimo) publicados na Revista Portugal Futurista, em que precisamente Hiemal – adaptado por Helder Bruno para uma das composições e que será cantado por Nuno Guerreiro – figura como o 5.º poema.
O mesmo título foi pensado para um projecto de publicação de várias obras, entre os quais: 1.O Banqueiro Anarquista (havia sido publicado em 1922 na Revista Contemporânea); 2. Poemas Completos de Alberto Caeiro (1889-1915); 3. Manuscrito de um Sibarita.
Numa carta de 1932, dirigida a João Gaspar Simões (crítico literário, director da Revista Presença e primeiro biógrafo do poeta), Fernando Pessoa apresenta o seu projecto de publicação dos três heterónimos.
Ao longo do espetáculo o ator Ricardo Carriço apresentará um pouco mais das “Ficções do Interlúdio” e do universo de Fernando Pessoa.

Helder Bruno